Cascais aprova plano de €3M para Recuperação Económica Municipal

2

Cascais aprova plano de €3M para Recuperação Económica Municipal

Cascais está a preparar o desconfinamento com um Plano de Recuperação Económica Municipal, estimado em três milhões de euros e que assenta em três eixos:

- Testagem dos empresários e comerciantes, de modo a dar segurança aos próprios e aos visitantes

- Estímulo económico, com medidas para elevar os serviços e qualificar a oferta, como montras digitais e apoio nas entregas

- Alívio fiscal, com isenções de taxas a vários níveis até 31 de dezembro de 2021

As novas medidas de apoio à retoma económica decorrem de um protocolo celebrado hoje com a Associação Empresarial de Cascais (AECC) e que será operacionalizado pela Agência Municipal DNA Cascais, entidade que fica responsável pela coordenação da organização, implementação e gestão das medidas em articulação com a AECC.

“O nosso objetivo é apoiar as empresas, para que apoiem o emprego e garantam os postos de trabalho”, explicou Carlos Carreiras, presidente da CM Cascais. “Temos uma responsabilidade acrescida de sermos poupados, mas acreditamos que este investimento público tem duas vertentes: apoiar as empresas e melhorar a qualidade de vida dos munícipes".

Apresentadas 15 dias antes da nova fase de desconfinamento, prevista para 5 de abril próximo, as medidas são bem-vindas como refere Armando Correia, presidente da AECC, pois vêm "motivar os empresários para ultrapassar esta situação" de pandemia que estamos a viver.

O conjunto de medidas municipais vai agora ser objeto de despachos específicos, estipulando regras de aplicação em cada caso. 

Veja aqui quais são as medidas

Confiante na “luz ao fundo do túnel”, Carlos Carreiras lembra que “temos [pelo menos] mais um ano de pandemia pela frente e é preciso garantir estas resiliências para conseguirmos resistir tanto tempo”. O autarca não esconde as dificuldades, e reconhece que “o que se perdeu com a pandemia é muitíssimo superior” ao valor que o município disponibiliza neste protocolo, e que se junta às medidas aprovadas pelo Governo a nível nacional. Porém, “tudo o que seja garantir maior coesão social e territorial e contribuir para que não se sofra tanto neste processo, tem um esforço muito positivo”, remata.

Mais informação sobre cada medida em breve.

FH/FC/CMC